Post para abrir 2016

Seguindo uma fórmula de posts anteriores, e ainda me recuperando de uma úlcera ocular recorrente, escrevo aqui para abrir a temporada 2016 de posts no Sinfonia de Ideias. Confira as bandas que deverão lançar novidades neste ano (cuja maioria será evidentemente resenhada aqui) e uma lista de sugestões de bandas novas, para você se desligar do mundo enquanto seus amigos brigam pelos seus candidatos nas redes sociais.

Álbuns de 2016
Bandas com material novo a ser lançado em 2016 incluem U2, Bon Jovi, Avantasia, Dream Theater, Red Hot Chili Peppers, Rammstein, X Japan, van Canto, Myrath, Nando Reis, Haken, Sinbreed, Headspace, Fastball, I See Stars, Withem, Computer Mind, Alter Bridge, Asking Alexandria, Until Rain, Delain, Sioux 66, Hardline, Deep Purple, Axel Rudi Pell e Metallica. Lembrando que, evidentemente, outras bandas poderão anunciar nos próximos meses discos a serem lançados ainda em 2016, e também qualquer uma das bandas acima pode postergar o lançamento de seus próximos trabalhos.

Dicas de bandas/músicos novos
Aqui vão algumas bandas e músicos novos que descobri em 2015. Alguns nem são tão novos assim, mas serão novidade para boa parte dos leitores por serem relativamente desconhecidos. Embuti no nome de todos um link para um vídeo no YouTube contendo um clipe ou uma música do artista, para que você possa experimentá-lo.

  • Alice Caymmi (neta de Dorival Caymmi, e um dos principais nomes da nova safra da MPB – e um dos que realmente valem a pena)
  • Zé Barrero e Catuaba (dupla sertaneja cômica, com letras bem humoradas e espertas)
  • Alpha Rev (pop rock alternativo diretamente do Texas, com toques de Coldplay e afins. O vocalista deles canta também no supergrupo Flying Colors.)
  • Helia (excelente banda nova de electronicore.)
  • We Came as Romans (outro grupo de electronicore, que infelizmente vem abandonando o gênero e tocando um pop/eletrônico sem graça.)
  • 2polos (excelente banda potiguar, com letras necessárias e um som de muito peso, lembrando Raimundos e afins. Infelizmente, parece estar pausando suas atividades.)
  • Toehider (um grupo de rock e metal em suas mais diversas formas. Ao longo da discografia desses australianos, você verá hard rock, rock progressivo, heavy metal, power metal e mais. Tudo combina bem com a voz de Michael Mills, um vocalista extremamente hábil cujos talentos foram utilizados em 2013 no álbum The Theory of Everything, do Ayreon.)
  • Maximum the Hormone (um grupo japonês bem doidão de hardcore, que de vez em quando intercala sua música com umas coisas nada a ver, mas o resultado final é algo divertido.)
  • Special Providence (direto da Hungria, um dos melhores grupos de metal progressivo instrumental desde Liquid Tension Experiment.)
  • Hozier (fiquei na dúvida se colocava esse; é novo, mas você provavelmente já o conhece. A frase “take me to church” te traz alguma lembrança?)
  • Lindemann (supergrupo de letras e visuais chocantes formado pelo vocalista do Rammstein, Till Lindemann; e o líder do Hypocrisy e do PAIN, Peter Tägtgren.)
  • Maga Bo (talvez você já o conheça, mas não sabe. Teve uma faixa incluída numa rádio da versão aprimorada do jogo GTA V. Maga Bo é estadunidense, mora no Rio de Janeiro desde 2000 e, mesmo não sendo brasileiro “legítmo”, produziu músicas com uma brasilidade que não é tão facilmente vista mesmo em músicos que nasceram aqui)
  • WarCry (banda de power metal e um dos expoentes do metal espanhol.)
  • Reckless Love (um grupo finlandês relativamente recente que revive o glam metal clichezão dos anos 1980 – aquele do qual ficaremos desprovidos com o fim do Mötley Crüe.)
  • Wagakki Band (um grupo japonês que combina rock/metal com instrumentos típicos japoneses.)
  • Unleash the Archers (revelação canadense do power metal, mas com uns toques de thrash e black. Como o nome da banda indica, há muitas referências a guerras nas letras e no imaginário.)
  • The White Buffallo (nome artístico de um talentoso músico estadunidense de country que faz um som muito agradável.)
  • Cartoon (começaram como mais um dos bons grupos mineiros de rock progressivo/psicodélico, mas seu último álbum mostra um direcionamento mais diverso e voltado para o rock clássico.)
  • Ancient Bards (grupo italiano de power metal sinfônico bem clichezão, mas que com certeza empolgará o mais exigente apreciador dessa vertente.)
  • Next to None (revelação do metal progressivo, essa banda adolescente conta com Max Portnoy (sim, o filho de Mike Portnoy) na bateria.)
  • Somba (mais um fruto de Minas Gerais, esse grupo mescla rock, jazz, soul e MPB com letras inteligentes e bem humoradas)
  • Frank Turner (cantor inglês de pop rock acústico daqueles que promovem mensagens de otimismo e tal.)

Ao som de Boston.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s